Romário

110913

Desisti

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , — Romário Rios @ 213640

Para consultas futuras, eu desisti do meu compromisso assumido de publicar coisas regularmente neste blog porque sim. Talvez ainda poste coisas que me venham à cabeça, mas não vou postar mais quaisquer merdas nas quartas e sábados.

É isso.

010913

Página “Sobre” criada

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, — Romário Rios @ 051137

Para evitar mais “que porra é essa”s e questionamentos da minha sanidade, resolvi criar uma página “Sobre” sobre o blog. Ainda está pequena, mas atualizá-la-ei com mais informações sobre o que este blog é — e o que ele não é.

P.S.: O corretor ortográfico do Firefox não sabe das minhas mesóclises. N00b.

O que é o que é?

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , — Romário Rios @ 045842

Clara e salgada
Cabe em um olho e pesa uma tonelada

280813

Oi

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , , , — Romário Rios @ 132333

dar-um-tapinha-nas-costas-t13471

Como vai essa força, chapa?

P.S.: Peço desculpas pela imagem horrível. Acho que até eu faria melhor, mas estou com preguiça e tive de procurar no Google. Ainda tive que entrar no maldito site, porque a imagem tinha proteção contra hotlinking e não dava pra pegar direto do Google Images. Acho que o tempo que eu perdi procurando a imagem, entrando no site e esperando a imagem carregar seria o mesmo de eu desenhar uma imagem parecida. Aliás, pra quê teorizar? Vou testar isso agora.

(10 minutos depois)

como vai, chapa?

Bem melhor.

260813

Tô de férias e férias não é época de fazer compromisso

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , , , , — Romário Rios @ 235056

Por isso as falhas em seguir a agenda.

Mas eu acho que vou mudar o horário das minhas postagens. Já que, afinal de contas, minha semana mudou, agora que estou de volta ao Brasil.

Bom, para não deixar isso aqui ficar extremamente monótono, acho que devo, primeiro, traçar algumas regras:

  • Meta-posts não contam como posts normais. Posso até postar um “fato do dia” ou dizer que “oi, galera, tô saudável hoje, paz e luz”, mas falar que “ó, ceus, este blog precisa de mais cor e alegria” vai contar como o mesmo que nada.
  • Por outro lado, posso, se achar necessário, fazer um meta-post em qualquer dia da semana que eu queira. Não preciso esperar quarta ou sábado.

Por ora, acho que essas novas regras chatas fazem a mudança de planos descartável. Posso, como último recurso, escrever de Linux por aqui, mas isso é algo que eu quero evitar, porque ficar tirando onda de “nerde kkkkkkk” é a última coisa que eu quero por aqui.

Beijos no cérebro.

210813

Foda quando a gente tá pensando em um monte de coisa o dia todo,

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , , , — Romário Rios @ 180657

chega na hora de blogar e não sabe o que escrever.

Ô, vida.

Que seja, vou blogar nada hoje.

P.S.: Esqueci do blog de sábado, mas foi porque eu estava mais ou menos por causa da viagem e resolvi foder (não literalmente) meu computador por pura diversão, então me desculpem, ninguéns.

Até sábado.

140813

Postar em público é meio embaraçoso

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , , — Romário Rios @ 102904

Ainda bem que, provavelmente, ninguém entende o que eu estou escrevendo aqui.

Hm…

CÚ, BUSCETA, PAL, CARALEO

Aposto que eles acham que eu estou escrevendo sobre alguma coisa séria. Orebas.

Mentira, sacanagem chamar a gringaiada de oreba.

Enfim, vou andando. Beijos na mente.

100813

Jogo precisa mesmo ter toda uma história por trás?

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , — Romário Rios @ 133730

Sei lá, eu tava jogando uns jogos de Atari um dia desses e eu gosto bastante do minimalismo deles; só precisa apertar Start e começar a jogar, sem introdução, nem realismo, nem nada. Apenas o jogo.

Bem que podiam fazer um punhado de jogos assim hoje, só que mais modernos.

070813

Já que sempre vai ter alguém pra me achar idiota –

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, — Romário Rios @ 120853

inclusive eu mesmo – prefiro ser idiota do jeito que eu mais gosto a tentar não ser.

EDIT: Ô CACETA, errei a merda do título. Isso foi um pouco irônico.

030813

Aborto

Arquivado em: Uncategorized — Tags:, , — Romário Rios @ 154725

Bom, estou atrasado, já está tarde e a  compilação de coisas está deixando o computador LENTO PRA CACETE (sério, neste momento eu não consigo ver absolutamente nada de que eu escrevo; só estou escrevendo na esperança de aparecer tudo depois), então eu vou ser bem breve nesse post. No de quarta-feira, eu falei o que me incomoda na posição que as pessoas geralmente tomam em relação ao aborto e como veem tudo de uma maneira extremamente binária. Agora, quero compartilhar a minha visão sobre o assunto.

(Tudo o que eu escrevi só veio aparecer agora. Legal)

Para mim, até um certo ponto da gravidez, o aborto é perfeitamente aceitável. Só que, a partir desse ponto, ele já passa a ser questionável e vai ficando cada vez mais questionável até começar a se tornar tão aceitável quanto matar um recém-nascido. Infelizmente, como ainda não temos tecnologia para um meio-aborto ou para “abortar um pouquinho”, uma linha dividindo claramente quando se pode e quando não se pode abortar tem que ser desenhada. Então, para evitar que essa “região cinza” entre o perfeitamente aceitável e o totalmente inaceitável seja adentrada, o ideal seria apenas permitir abortos até o fim da “região branca”.

E onde ficam essas regiões?

A região branca

Bom, pra tentar explicar como eu vejo onde fica cada uma dessas “regiões” sobre que eu falei acima, vou tentar caminhar pela linha do tempo da gestação. Não sou biólogo, nem profissional de saúde, então, se eu estiver falando merda e estiver causando vergonha alheia na nação, por favor, avise. Em outras palavras me corrijam se eu estiver errado.

Começando antes do começo, temos diversos métodos contraceptivos que impedem que os espermatozóides de encontrarem o óvulo e impedem que a fecundação ocorra. Fisiologicamente, uma camisinha deixa esperma e óvulo tão distantes quanto fazer coito interrompido ou fazer sexo pela webcam, então nada de errado aqui. Diversos outros métodos destroem os espermatozóides, então, se você está tranqüilo com o genocídio de milhões de espermatozóides, nada de errado aqui também. Até aqui, a maioria das pessoas concorcorda, até aqueçlas qur são “a favor da vida” ou o que seja.

Mas aí, já no começo, encontramos um ponto que as pessoas vão começar a espernear: a pílula do dia seguinte. Teoricamente, é permitido por lei e não é considerado aborto, mas ainda tem gente que não gosta disso porque Ó MEU DEUS A VIDA®.

Não vou me delongar muito nesse ponto, mas eu não vejo nada que torne o segundo anterior à fecundação tão diferente assim ao segundo posterior a ela. Antes era uma célula com os genes da mãe e outra com os genes do pai e, agora, é uma célula com uma combinação de ambos. Não existe nada que torne as duas células juntas mais especiais que as células separadas; a alma da criança não descende à celula no segundo da fecundação. E, mesmo que, por algum acaso, você acredite nisso, a não ser que você dê uma explicação cientificamente comprovável e que  não dependa de fé de que é certo permitir métodos contraceptivos que impedem o encontro entre espermatozóide e óvulo, mas é errado permitir que um ovo fecundado comece a se desenvolver, mantenha a sua moral pessoal para você.

Enfim, conseguimos caminhar até a fecundação, que ainda é área branca para mim. E depois que o ovo se afixa no útero e a gestação começa de verdade?

Bom, minha posição continua a mesma da pílula do dia seguinte: no começo, é só um amontoado de células. Qual o impedimento moral para removê-lo?

MAS É UMA VIDA NESSA PORRA AÍ

E?

ISSO É ASSASSINATO

OK, vamos com calma. A principal razão pela qual algumas pessoas são contra o aborto é que assassinar bebês é errado. Só tem um problema: eles põem no mesmo bolo o aborto de um feto de oito meses e o de um feto com 32 células. Mas vamos fazer um exercício mental. O que falta num feto com 32 células que tem num feto de 7 ou 8 meses?

Que tal tudo?

Um feto que acabou de começar a se dividir não tem porra nenhuma. Não tem sangue, não tem pele, não tem olho e, mais importante, não tem sistema nervoso. Se não tem sistema nervoso, não sente dor, e muito menos é capaz de sentir dor, logo, remover esse feto não o iria fazer sofrer. Mas esse não é nem exatamente o ponto aqui, pois se pode dizer que o feto tem “o direito à vida, mesmo que não sofra” ou algo assim.

Mas sabe por quê um aborto nesse ponto da gravidez não é, sob nenhuma ótica possível ou imaginável, nem de longe comparável a um assassinato?

Por que, se não existe sistema nervoso, definitivamente, não existe consciência, logo, não existe um indivíduo ali e, logo, não existem ninguém ali para ter a vida tomada. Se um feto desses não chega nem mesmo a ter diferenciação de tecidos ainda — quanto mais um sistema nervoso funcional — ainda não existe nenhuma pessoa ali dentro querendo viver.

MAS É UMA VIDA EM POTENCIAL

Embrião

Uma pobre criança

E como esse potencial é diferente do potencial de um óvulo e um espermatozóide separados? Usar uma camisinha também impede que esse potencial se concretize; também é assassinato? Também é matar as pobres criancinhas? Eles também são uma vida em potencial. Porque não deixar esse potencial se concretizar também? E já que estamos falando de “vida”: o óvulo também é vivo. Pela lógica de “vida”, toda mulher está matando uma Vida em Potencial® a cada menstruação. Ah, um câncer é uma vida também — humana, ainda por cima. Vamos deixar o pobrezinho do câncer viver em paz? E quanto àquela verruga feia que você removeu?

Usar vida como parâmetro para a permissão ou não do aborto, pra mim, não faz sentido algum, já que estamos rodeados de vida o tempo inteiro e matamos vida o tempo inteiro também. Não quero postar aqui uma reflexão profunda do porquê de o assassinato ser imoral, nem me delongar em sobre como o conceito de vida é extremamente impreciso, mas, rapidamente, não queremos matar criancinhas não porque “elas são uma vida”, mas, sim, porque elas são pessoas, indivíduos. E o que define um indivíduo? Sua consciência, sua mente. E onde é que a consciência humana é gerada? No cérebro.

Um feto de 32 células não tem sistema nervoso, logo, não tem cérebro, logo, não tem consciência, logo, não é uma pessoa e, logo, um aborto nesse estágio da gravidez não é um assassinato. Fim de papo.

E isso tudo, essencialmente, define até onde eu acho que o aborto ser permitido, mas, só pra escrever em voz alta: até o momento em que o feto não tem um sistema nervoso funcional, não há absolutamente nenhuma implicação moral num aborto que não tenha fundo religioso. Logo, até esse ponto, o aborto não deveria ser proibido.

E, só pra deixar bem claro, se você acha o aborto em qualquer ponto da gravidez errado, é muito simples: não aborte.

Certo, mas e se o feto já tiver um sistema nervoso funcional?

Older Posts »

O tema Silver is the New Black. Blog no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 329 outros seguidores